Fertilização In Vitro – Os 5 passos

Dentre os tratamentos propostos para os casais estéreis o mais complexo é a fertilização in vitro (FIV). Este procedimento exige um investimento emocional, de tempo e esforço, eu que o diga!!!! Isto gera numerosas vivências, às vezes contraditórias, tanto para homem / mulher como para o casal. Neste post você irei falar sobre os 5 Passos da Fertilização In Vitro.

Um dos tratamentos mais utilizados pois atende a vários tipos de problema sobre infertilidade. Técnica mundialmente conhecida desde a década de 70, as chances de gravidez com a Fertilização In Vitro dependem de vários fatores. Os principais são a idade da mulher (que é o fator isolado mais importante), a qualidade dos embriões produzidos, e a causa da infertilidade. Quando se fala em chances de gravidez é sempre bom ter em mente que a chance natural de concepção na espécie humana é baixa.

Estudos científicos apontam que a probabilidade de concepção natural em nossa espécie é de no máximo 18 a 20% por ciclo ovulatório da mulher. Esta chance espontânea vai diminuindo progressivamente com o avançar da idade feminina.

Portanto, mulheres com 35 anos, teria 50 a 60% de chances de gravidez com a Fertilização In Vitro. As taxas vão diminuindo com o passar dos anos, já que os folículos também envelhecem.

Aos 40 anos as chances ficam entre 30 e 40%, chegando a índices de somente 5 a 10% de taxas de gravidez em mulheres de 43-44 anos.

Sobre a quantidade de embriões que podem ser implantados, de acordo com a resolução do CFM, de 2010, em mulheres até 35 anos é permitido que sejam transferidos até dois embriões, que foi o meu caso. Entre 36 e 39 anos, é possível até 3. Mulheres com 40 anos ou mais podem receber até quatro.

Fertilização In Vitro

Veja os Passos da Fertilização In Vitro:

Fertilização In Vitro- Passo 1:

Faz o uso de  medicações para estimular o crescimento e maturação dos óvulos. Nesta etapa, o crescimento dos óvulos é monitorado por exames de ultrassom transvaginal. Esses medicamentos são injetados na barriga próximo ao umbigo. As possíveis reações são: irritação local, gestação múltipla, retenção de líquidos e formação de cistos.

Fertilização In Vitro – Passo 2: 

Coleta dos óvulos, consiste em punsão dos ovários guiada pelo ultrassom transvaginal. A coleta de espermatozoides é feita no mesmo dia.

Fertilização In Vitro – Passo 3

A FIV pode ser realizada através de algumas técnicas:

Fertilização In Vitro Convencional, em que os melhores espermatozoides e os melhores óvulos são selecionados e colocados em um mesmo meio, para que ocorra a fertilização (isto é, a penetração do espermatozoide no interior do óvulo) de forma espontânea.

ICSI (Intracitoplasmatic Sperm Injection ou Injeção Intracitoplasmática de Espermatozoide): quando a quantidade de espermatozoides for pequena, os óvulos são fertilizados através da micromanipulação dos gametas, injetando-se um espermatozoide em cada óvulo. A seleção dos espermatozoides para a ICSI é feita pela avaliação visual da motilidade e morfologia.

CSI Magnificado, Super-ICSI ou IMSI (Intracytoplasmic Morfologically Select Sperm Injection): é uma técnica que identifica com precisão os espermatozoides com maior capacidade de fertilização, usada quando houver alterações no seu formato (morfologia alterada), presença de vacúolos e fragmentação do DNA espermático. Utiliza um sistema ótico que apresenta objetivas de maior poder de ampliação eletrônica das imagens, podendo observar os espermatozoides em detalhes, detectar seus defeitos e selecionar os melhores, pois são aumentados em até 12.500 vezes. Identifica em tempo real e com precisão os espermatozoides com maior capacidade de fertilização avaliando um conjunto de alterações que são denominadas pela sigla em inglês MSOME (Motile Sperm Organellar Morphology Examination). Espermatozoides com estas alterações podem formar embriões de má qualidade e o consequente insucesso da FIV.

PICSI (Physiological Intracytoplasmatic Sperm Injection): a seleção ocorre entre os espermatozoides que se ligam (in vitro) a um “componente especial”, também presente na camada externa do óvulo (uma placa de ácido hialurônico).

Fertilização In Vitro – Passo 4:

Transferência de embriões ao útero, feita entre 3 e 5 dias após a fertilização. O procedimento é feito através de um exame ginecológico rápido e indolor. 

Normalmente, por vias naturais, o embrião chega à cavidade uterina com cinco ou seis dias de vida, em um estágio chamado BLASTOCISTO. No meu caso os embriões foram transferidos neste estágio (ou seja, com 6 dias após a coleta dos óvulos. O que aumenta a chance de gravidez.

Fertilização in Vitro – Passo 6:

Teste de gravidez, 12 dias após a transferência de embriões e posterior acompanhamento da gestação através de exames ultrassom a cada duas semanas.

A Fertilização In Vitro nada mais é uma técnica que realiza Sonhos! A União da Ciência com o Sopro de Vida. Abençoados sejam os homens, que sabem usar o dom que Deus os entregou para fazer o bem!

Preconceito em torno da Fertilização

Quando assumi para os familiares e amigos que eu não conseguia engravidar por uma infertilidade de causa desconhecida, enfrentei perguntas desnecessárias e inconvenientes, e até comentários preconceituosos em torno da Fertilização In Vitro, onde eu teria maior chance de uma gravidez.

Me recordo bem dos comentários:

– Mas como a causa é desconhecida??? Você tem que saber porque não engravida!!! Então é coisa da sua cabeça!

– Vocês vão adotar? – Eu sou contra… Eu ouço muita coisa ruim a respeito.

Ouvi também comentários preconceituosos em torno vindo de pessoas religiosas, que diziam que a Fertilização In Vitro era um procedimento abominado por Deus.

Então, eu estava preparada pra tudo, tanto para uma adoção como para qualquer tratamento que fosse!

Preparada não! Mas digamos, motivada!

E a cada absurdo que ouvi, me fortaleci mais e mais!!!

Agora me explica uma coisa, porque é abominada por Deus??? Isso está na bíblia??? Onde??? Não encontrei!

A Bíblia fala de casos emblemáticos, de mulheres que não podiam ter filhos.

7 mulheres na Bíblia que não podiam ter filhos:

Sara (Gn 11.30; 16.2), Rebeca (Gn 25.21), Raquel (Gn 29.13), Mãe de Sansão (Jz 13.24), Ana (1 Sm 1.6), Isabel (Lc 1.7).

Todas elas são testemunhas da graça divina, pois graças à própria oração, tiveram seus desejos alcançados.

No passado, a esterilidade era vista como uma maldição, hoje vista com olhos preconceituosos contra a medicina.

Não poder ter filho significava uma punição divina. Segundo a Bíblia, Deus deu filhos a essas mulheres…

Será que Deus através  da medicina não poderia permitir uma família gerar seus descendentes, assim uma casa cheia de amor e um Sonho Realizado?!

Portanto, o primeiro ensinamento bíblico passado através dessas histórias é que a mulher estéril não é abandonada por Deus mas igual a todas as outras, com uma única diferença… O desafio de buscar e acreditar que o seu Desejo mais íntimo será realizado, mediante a sua perseverança, determinação e fé.

Encontrei um site que fala sobre os motivos que levam uma tal crença religiosa a não concordar com a Fertilização In Vitro.

Isso me causou indignação, e acredito que quem escreveu não tem o menor conhecimento de causa e convivência com famílias abençoadas através da fertilização.

Veja as citações em torno da Fertilização de um site religioso:

“A Fertilização In Vitro foge à nossa noção consolidada de paternidade. A maneira tradicional de gerar bebês envolve a união física de um homem e de uma mulher. Já a FIV, mesmo na sua versão mais básica, envolve outras pessoas nesse ato de criação: médicos e técnicos que recolhem os óvulos e o esperma, os fertilizam em laboratório e os transferem para o corpo da mulher.

Será que pode-se julgar a paternidade de uma criança só por não ter havido o ATO SEXUAL??? O espermatozoide não é do próprio pai biológico?! E quem vai criar, educar e dar amor também não seria o próprio pai?! 

“A Fertilização In Vitro reduz mulheres e crianças a objetos. As mulheres são tratadas como meios para “se obter” uma criança, e não como pessoas integrais. E a criança é tratada como “um produto” a ser conseguido. Porque ainda há tanto preconceito em torno de DE UMA MULHER EM REALIZAR O SONHO DA MATERNIDADE, com o coração cheio de amor e esperança. “

Como esse site falar sobre a forma que essas mulheres e crianças são tratadas como objeto???

Todo tratamento de Reprodução Humana é tratado de forma séria do início até o nascimento dos bebês. Assim foi na clínica a qual fiz o meu tratamento.

Meus médicos tiveram total zelo por mim e família.

No nascimento das minhas filhas os médicos foram agradecendo a Deus o milagre da Vida e abençoando, foi lindo! Me emocionei e ainda me emociono quando lembro!!!

Tivemos ao nosso lado profissionais extremamente competentes e voltados para a realização do meu Sonho. Infelizmente, algumas pessoas podem não ter tido a mesma experiência que a minha, mas o fato é que não aceito tal discriminação e preconceito em torno de um assunto principalmente quando quem trata não tem o real conhecimento de causa e nem sabe ao certo o que é uma mulher desejar carregar em seu ventre seu filho, gerando dia após dia…

Sentir seu coração bater, e mexer sempre que o papai e a mamãe passa a mão no ventre…

Logo poder amamentá-lo. Tamanha emoção que uma mãe vive durante a gestação que o ato sexual não tanta importância nesse sentindo, já que a união e o amor do casal está acima de tudo isso!

Aqui deixo um registro.

E dizer que, acima de tudo isso existe um amor incrivelmente lindo dentro de mim e que Deus me proporcionou a mais pura e verdadeira felicidade do Dom da Vida.

E se você que está lendo esse post,  não acredita em Deus, tenha fé em você, ou na Vida.

Acredite! Tenha a esperança sustentada pela motivação e determinação de construir uma família prospera.

Vivencie a experiência da maternidade de olhos fechados, sinta-se já uma mãe cheia de amor, sinta seu coração já cheio de felicidade, com o resultado positivo.

Porque foi assim que mentalizei no período do meu tratamento.

Voltada para o resultado positivo, e o recebimento dos meus Presentes de Deus.

Ser mãe é uma dádiva sublime, uma fonte inesgotável de amor, portanto, comece já a ser essa fonte.

Exames para Tratamento de Reprodução Humana

Quando decidimos investigar a causa de não conseguirmos ter um filho, não sabíamos o que estava por vir… Assim, começamos a fazer os Exames para o Tratamento de Reprodução Humana.

A caminhada foi longa… Então, tudo começou quando fui a consulta de rotina na minha ginecologista.

Na consulta ela me orientou a procurar um especialista e fazer os Exames para o Tratamento de Reprodução humana, já que no meu caso já havia feito tabelinha de controle de fertilidade e não fazia uso de nenhum método contraceptivo há anos.

Comecei meu tratamento de Reprodução Humana com o Dr Vinícius Lopes na Clinica Verhum, especializada em Reprodução Humana aqui em Brasília.

Continue lendo Exames para Tratamento de Reprodução Humana