Indutor de Ovulação

Indutores de ovulação são usados em mulheres que ovulam de maneira irregular ou que nem chegam a ovular, incluindo as portadoras da síndrome dos ovários policísticos.

A indução é feita quando o histórico médico de um casal mostra que a mulher não apresenta alterações anatômicas, como obstrução das trompas, e o homem tem sêmen normal (diagnosticado através de um espermograma).

Portanto, para se fazer o uso desses medicamentos é de total importância ter o diagnóstico completo através de exames e acompanhamento médico.

Na grande maioria das vezes apenas um óvulo é amadurecido e liberado a cada mês, em um dos ovários. Costuma ocorrer uma alternância, apesar de não obrigatória, entre os ovários. Ou seja, em um mês a ovulação ocorre do ovário direito; no mês seguinte, do esquerdo.

Algumas mulheres desenvolvem, por distúrbios hormonais, problemas de ovulação. E assim não ovulam todos os meses. Esta é uma das principais causas de subfertilidade, e a doença mais comum neste sentido é a Síndrome dos ovários policísticos (SOMP). Um dos principais sintomas deste distúrbio na ovulação é a irregularidade menstrual, não quer dizer que toda mulher que tenha esse distúrbio venha ser portadora dessa síndrome.

O princípio biológico por trás da indução de ovulação é simples: procura-se aumentar a quantidade no sangue do hormônio que estimula o crescimento e amadurecimento dos óvulos, que é o Hormônio Folículo- Estimulante (FSH).

Estas medicações fazem com que haja uma maior liberação endógena (dentro do próprio organismo) de FSH e LH, levando a uma estimulação do processo ovulatório.

Mas, aqui vai um alerta as Tentantes!

Clique aqui onde vocês vão ler depoimentos de pessoas que tomaram indutores por conta própria e não fizeram o acompanhamento com um médico especialista.

Sempre que há indução da ovulação, é possível que mais de um óvulo seja liberado. Isso eleva as chances de uma gravidez múltipla. Mulheres que tomam clomifeno têm 7% de probabilidade de ficar grávida de gêmeos e 0,5% de probabilidade de engravidar de trigêmeos. Nesses casos, os gêmeos não serão idênticos, porque terão sido originados por óvulos diferentes.

A variação das taxas de sucesso de gravidez é grande porque a fecundação depende de vários outros fatores, como o momento da relação sexual, a idade da mulher, seu peso, além da velocidade e da motilidade dos espermatozoides (sabe-se através do espermograma ou análise do sêmen onde avalia de uma só vez a quantidade e, de certa forma, a qualidade do espermatozoide para fertilizar um óvulo).

Os médicos sempre aconselham a tomar indutores somente após o casal fazer exames e os devidos acompanhamentos para o Coito Programado, quando não se é feito aumentam as chances de gestações múltiplas o que trazem riscos e complicações, podendo-se ter parto prematuro principalmente no caso de trigêmeos, quadrigêmeos e quíntuplos.

Mesmo em mulheres, as causas da infertilidade são diversas. Há mulheres que têm falhas fisiológicas ou anatômicas, ou até distúrbios hormonais (de tireóide, por exemplo) e nestes casos o Indux não é o medicamento mais indicado.

Além disso, o remédio pode causar aborto (em 19% dos casos tratados ocorreram), gravidez ectópica, parto prematuro ou, quando tomado inadvertidamente no começo da gravidez, anomalias no feto (que ocorrem em 7 de cada 8 fetos). Pode diminuir a produção de leite, é contra-indicado para mulheres com disfunções hepáticas e é um perigo para pacientes com cistos ovarianos (podem aumentar o tamanho dos mesmos) ou com carcinomas endometrial.

Outros problemas muito sérios estão sendo estudados e relatados em artigos científicos com certa freqüência: defeitos no tubo neural do feto e síndrome de Down. Além dos problemas para o feto, são relatadas inúmeras reações adversas relacionadas ao Clomifeno. Como todos já sabem, não se deve tomar nenhum remédio sem consulta e prescrição médicas. Qualquer medicação pode ter efeitos colaterais e pode não só não trazer qualquer benefício como também prejudicar o paciente.

Se tentou engravidar e não consegue há mais de um ano, procure um médico especialista em Reprodução Humana, o mesmo irá passar exames para dar andamento ao seu tratamento e fazê-lo adequadamente.

Cada caso é um caso.

Não coloque a sua saúde em risco e nem do seu futuro bebê.

“Afinal esse é o seu sonho, seu projeto de vida, e deve ser cuidado com muito amor e carinho!”